Benfica · cartilha · Comentadores

Um café e um covilhete para Duarte e Eva

Ir a Vila Real, seja para um colóquio ou simples passeio, e não comer um covilhete da “Gomes”, é o mesmo que ir a Lisboa e não passar pela “Pastéis de Belém” a comer uma nata.

Ora no passado sábado (26 Agosto) o Núcleo de Árbitros de Futebol Henrique Silva, cujo presidente é o “encarnado” Manuel Escaleira, organizou o primeiro colóquio sobre arbitragem, no Teatro de Vila Real.

Painel do Congresso

Convidados e oradores de luxo, José Fontelas Gomes, presidente da CA da FPF, Luciano Gonçalves, presidente da APAF, o ex-árbitro Duarte Gomes e outros menos conhecidos para o grande público.

Oradores do Congresso

Gostaria, no entanto, que guardassem para memória futura o nome do árbitro Gonçalo Martins, que ascendeu a época transacta ao primeiro escalão da arbitragem, sendo um dos padres ordenados por Nuno Cabral.

Fechado este preâmbulo, a esta hora estão a perguntar: não tinha o “menino-querido” saído de circulação?

Não tinha encerrado a sua conta de facebook, quando foi implicado no Caso dos Emails?

A estratégia da Eva Mendes foi, longe da vista, longe do coração.

Regressou em força, a calcorrear o país ao serviço do clube do manto sagrado, cuidando que os padres que ordenou, não sejam tocados pelos pecados da gula ou da preguiça.

Quanto à página pessoal do facebook, foi reactivada vai para dois meses, pois há que interagir com o Miguel Duarte e outros alter egos.

Caso para perguntar: Já alguma instância federativa, judicial ou de investigação, o abordou para tirar a limpo, a sua envolvência nos mais macabros golpes do polvo encarnado?

No passado Sábado, na Gomes, pouco passava do meio dia, uma das mesas da pastelaria da Carvalho Araújo era ocupada pelo Nuno Cabral/Eva Mendes e pelo mediático ex-árbitro Duarte Gomes, para degustarem um café com o famoso covilhete e, se algum deles for mais guloso, um delicioso napoleão.

Pastelaria Gomes

Que santa aliança era esta? Que assuntos foram conversados pelos “meninos-queridos” do clube da Luz?

Do Nuno Cabral já estamos elucidados das suas funções, incumbências e desejos: mas o que move Duarte Gomes?

Duarte Gomes orador

O ex-árbitro, depois de não querer fazer parte do CA da FPF, preferiu o mediatismo que lhe foi proporcionado pelos amigos benfiquistas: comentador na SIC, comentador na Bola, com avenças chorudas e ainda com o livro editado e o site online, curiosamente com o mesmo titulo “Kickoff”.

Este é o objectivo, “o pontapé de saída” para, daqui por dois/três anos, atacar a presidência da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol.

Como ele dizia a um amigo chegado, quer,  nestes próximos anos, tornar-se o Marcelo Rebelo de Sousa do comentário arbitral, para com o mediatismo que visa ganhar, “varrer” a concorrência no próximo acto eleitoral ao CA da FPF.

Percebido?

PS: Cenas dos próximos capítulos com o título “Os tentáculos do Polvo nas Associações de Futebol”.

Uncategorized

Benfica e a FPF de candeias às avessas?

Parece, mas não é. São apenas arrufos passageiros e para entreter papalvos, porque nenhuma das instituições tem vergonha.

Uma, Benfica acha-se injustamente tratada pela FPf e Liga de Clubes e retalia em comunicado, anunciando a não presença na Gala das Quinas, organizada pela FPF em 20 Março 2017.

O Conselho de Disciplina da Federação , a 22 Março, abriu um processo disciplinar ao Benfica

derivado a um comunicado divulgado no site do clube da Luz, onde era exigido respeito (21 Março 2017)

Os órgãos plenários do Benfica reagiram e dois dias depois (24 Março 2017),  decidiram boicotar o jogo da selecção com a Hungria

Após os insultos da claque da selecção a uns bem-comportados adeptos encarnados, sim porque a claque lampiónica é assassina e não llegalizada, o clube reagiu (27 Março) através do seu director de comunicação, Luís Bernardo, dizendo que o Benfica quer explicações, mas não fecha o estádio à selecção.

Poderiam pensar que as coisas azedaram de vez, mas não.

Como os casais de namorados, as pazes surgem na altura certa.

Com as obras no Centro de Estágio no Seixal, o Benfica equacionava dois locais como alternativa para começar os trabalhos da época 2017/18, o Estádio Nacional ou a Cidade do Futebol, ambos em Oeiras.

Falta agora o arrufo com a Liga, mas esse mais difícil de resolver, pois se é certo que houve boicote dos encarnados ao sorteio da liga, como a Liga não tem Cidade do Futebol as pazes estão mais difíceis ou até mesmo impossíveis.