Benfica · cartilha · Comentadores

Um café e um covilhete para Duarte e Eva

Ir a Vila Real, seja para um colóquio ou simples passeio, e não comer um covilhete da “Gomes”, é o mesmo que ir a Lisboa e não passar pela “Pastéis de Belém” a comer uma nata.

Ora no passado sábado (26 Agosto) o Núcleo de Árbitros de Futebol Henrique Silva, cujo presidente é o “encarnado” Manuel Escaleira, organizou o primeiro colóquio sobre arbitragem, no Teatro de Vila Real.

Painel do Congresso

Convidados e oradores de luxo, José Fontelas Gomes, presidente da CA da FPF, Luciano Gonçalves, presidente da APAF, o ex-árbitro Duarte Gomes e outros menos conhecidos para o grande público.

Oradores do Congresso

Gostaria, no entanto, que guardassem para memória futura o nome do árbitro Gonçalo Martins, que ascendeu a época transacta ao primeiro escalão da arbitragem, sendo um dos padres ordenados por Nuno Cabral.

Fechado este preâmbulo, a esta hora estão a perguntar: não tinha o “menino-querido” saído de circulação?

Não tinha encerrado a sua conta de facebook, quando foi implicado no Caso dos Emails?

A estratégia da Eva Mendes foi, longe da vista, longe do coração.

Regressou em força, a calcorrear o país ao serviço do clube do manto sagrado, cuidando que os padres que ordenou, não sejam tocados pelos pecados da gula ou da preguiça.

Quanto à página pessoal do facebook, foi reactivada vai para dois meses, pois há que interagir com o Miguel Duarte e outros alter egos.

Caso para perguntar: Já alguma instância federativa, judicial ou de investigação, o abordou para tirar a limpo, a sua envolvência nos mais macabros golpes do polvo encarnado?

No passado Sábado, na Gomes, pouco passava do meio dia, uma das mesas da pastelaria da Carvalho Araújo era ocupada pelo Nuno Cabral/Eva Mendes e pelo mediático ex-árbitro Duarte Gomes, para degustarem um café com o famoso covilhete e, se algum deles for mais guloso, um delicioso napoleão.

Pastelaria Gomes

Que santa aliança era esta? Que assuntos foram conversados pelos “meninos-queridos” do clube da Luz?

Do Nuno Cabral já estamos elucidados das suas funções, incumbências e desejos: mas o que move Duarte Gomes?

Duarte Gomes orador

O ex-árbitro, depois de não querer fazer parte do CA da FPF, preferiu o mediatismo que lhe foi proporcionado pelos amigos benfiquistas: comentador na SIC, comentador na Bola, com avenças chorudas e ainda com o livro editado e o site online, curiosamente com o mesmo titulo “Kickoff”.

Este é o objectivo, “o pontapé de saída” para, daqui por dois/três anos, atacar a presidência da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol.

Como ele dizia a um amigo chegado, quer,  nestes próximos anos, tornar-se o Marcelo Rebelo de Sousa do comentário arbitral, para com o mediatismo que visa ganhar, “varrer” a concorrência no próximo acto eleitoral ao CA da FPF.

Percebido?

PS: Cenas dos próximos capítulos com o título “Os tentáculos do Polvo nas Associações de Futebol”.

Uncategorized

Ferreira Nunes viaja pela Emirates

 

As comparações são inevitáveis para os lados de Carnide, uma tentativa vã de se livrarem da “lama” onde chafurdam.

Fala-se em corrupção e tráfico de influências no caso dos emails, eles vomitam com o apito dourado.

Atiram com a fruta e o café com leite, mas esquecem-se do Mr. King e dos 200 euros a dois ou 300 a três.

A única que até agora (tudo se sabe caros candeeiros), não tinha resposta era a viagem do Calheiros ao Brasil.

Se tiverem tempo arranjem lá justificação para a viagem do sempre prestável Ferreira Nunes (homem de mão durante o último quadriénio no CA e que por todos os meios tentaram manter na lista de Fontelas Gomes) ao Dubai pela Emirates Airlines.

Claro que vão dizer, é mentira, mas para vos refrescar a memória cá vai a data, entre 25 de Abril de 2017 e 1 de Maio 2017 (between holidays) o Sr. Ferreira Nunes e acompanhante fizeram umas fériazitas no sempre apetecível Dubai com tudo incluído.

Teria sido com a promoção da Asus?

Aproveitem que estamos uns mãos largas a oferecer subterfúgios.

 

PS: As promoções da Asus foram aproveitadas por outros “meninos queridos”, faltam as datas, porque somos rigorosos quanto a esses pormenores.

A seu tempo meus queridos, a seu tempo.